segunda-feira, dezembro 12, 2005

Réplicas imprevistas

"...ouvimos as coisas e traduzimo-las através do filtro de afectos e recordações, acabamos com dialecto próprio nos braços, feridas que o silêncio já não limita, abrindo, abrindo."

Muros - Júlio Machado Vaz



- Quando voltas?
- Não sei...precisarei de mais tempo para delimitar fronteiras e abrir novos ângulos.
- O coração não se compadece com esperas longas ou cumplicidades quebradas.
- Não sejas absurda. Nem sempre as pedras caem no formato previsto mas quando atiradas rugem que nem leões. Não é o caso.
- Porque sinto já saudades de ti?

6 comentários:

Maite disse...

Testando a caixa de comentários ;)

Maite disse...

Mas porque é que a hora dos comentários não coincide? Está oito horas atrasada!!!!

lobices disse...

...agradeço e retribuo a amável visita e deixo também aqui os meus votos de Feliz Natal...

lobices disse...

...já agora quanto às horas: tens de ir às Definições e alterar lá a hora optando pela TMG Lisbon

Maite disse...

Obrigada Lobices pela dica :)

Pólux disse...

Gosto destas réplicas. :)