sexta-feira, dezembro 30, 2005

Nos teus olhos

Nos teus olhos busco o silêncio
Que me tráz palavras ternas
De conceitos inefáveis
De momentos indizíveis.

Quebras-me o pranto
Tantas vezes conseguido
De vozes dolorosas
De mentes enlouquecidas.

Raios de luz
Que na escuridão se adivinham
São teus olhos nos meus
Vaiando o desconhecido.

Felinos, teus olhos
Que me acalmam a alma
De outras madrugadas
Que se avizinham.

5 comentários:

Polux2 disse...

Felinos, teus olhos
Que me acalmam a alma
De outras madrugadas
Que se avizinham.



Bonito, Maite, como aliás todo o poema.

Abraço.

Maite disse...

Obrigada, é muita gentileza da sua parte.

Um abraço

Alê disse...

Nossa, mas que poema mais lindo !Te achei no Pólux, e adorei seu blog !
Muito lindo mesmo !
Bjo

da. disse...

...um poema de uma madrugada diferente..também um a manh'ser talvez..

Maite disse...

Alê, Da. obrigada pela visita :)