segunda-feira, outubro 30, 2006

"Quem pagará o enterro e as flores se eu morrer de amores?" Vinícius de Moraes



Este post é dedicado a todos os meus amigos da blogosfera (aqueles que constam dos meus links) e que gostam de Vinícius (penso que sejam todos) :)
De modo particular à MT que me chamou a atenção para este filme e que penso que já teve um poema dele no seu blog, embora hoje não o consiga encontrar, mas ia jurar que tinha visto. Ao Portocroft que me ensinou a gostar de Vinícius e de muitos outros poetas. À Amok_she que tem também um poema no seu blog.
Noutro post falarei do filme que é mais um documentário.
Depois de estar duas horas a ouvir Vinícius cantado e declamado por Chico Buarque, Caetano Veloso, Maria Bethânia, Adriana Calcanhoto e muitos outros só me apeteceu aplaudir no final (depois lembrei-me que estava num cinema e que não era o local indicado para tal manifesto)
Posted by Picasa

12 comentários:

MTC disse...

Saravá Maite :)

E você conseguiu ver o filme antes de mim :)
Deixo-lhe aqui um poema de Vinícius que vem muito a propósito do seu post de hoje:

Amigos

Tenho amigos que não sabem o quanto são meus amigos.
Não percebem o amor que lhes devoto e a absoluta
necessidade que tenho deles.

A amizade é um sentimento mais nobre do que o amor,
eis que permite que o objeto dela se divida em outros afetos, enquanto o
amor tem intrínseco o ciúme, que não admite a rivalidade.

E eu poderia suportar, embora não sem dor, que
tivessem morrido todos os meus amores, mas enlouqueceria se morressem
todos os meus amigos!

Até mesmo aqueles que não percebem o quanto são meus
amigos e o quanto minha vida depende de suas existências ...
A alguns deles não procuro, basta-me saber que eles existem.
Esta mera condição me encoraja a seguir em frente pela vida.

Mas, porque não os procuro com assiduidade, não
posso lhes dizer o quanto gosto deles. Eles não iriam acreditar.

Muitos deles estão lendo esta crônica e não sabem
que estão incluídos na sagrada relação de meus amigos.

Mas é delicioso que eu saiba e sinta que os adoro,
embora não declare e não os procure.

E às vezes, quando os procuro, noto que eles não têm
noção de como me são necessários, de como são indispensáveis ao meu
equilíbrio vital, porque eles fazem parte do mundo que eu, tremulamente,
construí e se tornaram alicerces do meu encanto pela vida.

Se um deles morrer, eu ficarei torto para um lado.

Se todos eles morrerem, eu desabo!

Por isso é que, sem que eles saibam, eu rezo pela vida deles.

E me envergonho, porque essa minha prece é, em
síntese, dirigida ao meu bem estar. Ela é, talvez, fruto do meu egoísmo.

Por vezes, mergulho em pensamentos sobre alguns deles.

Quando viajo e fico diante de lugares maravilhosos,
cai-me alguma lágrima por não estarem junto de mim, compartilhando
daquele prazer ...

Se alguma coisa me consome e me envelhece é que a
roda furiosa da vida não me permite ter sempre ao meu lado, morando
comigo, andando comigo, falando comigo, vivendo comigo, todos os meus
amigos, e, principalmente os que só desconfiam ou talvez nunca vão saber
que são meus amigos!

A gente não faz amigos, reconhece-os.


Um abraço :)

legivel disse...

Cara Maite:

Um filme pode perfeitamente ser aplaudido (se fôr do agrado dos espectadores... ) como qualquer outro espectáculo. Não é habitual, eu sei. Mas quantas vezes nos emocionamos no cinema e nos apetecia aplaudir como se os actores estivessem ali, ao vivo, como no teatro. Para mais, um filme-documentário dedicado a seu Vinícius...

Tenha um belo fim de dia!

PortoCroft disse...

Cara Maite,

Que barbaridade! E eu ensino alguma coisa a alguém? ts ts ts... Tenha termos, sim? :D

Hei-de ver este documentário quando for a Portugal. Parece-me muito interessante.

Um resto de boa noite para si.

Maite disse...

Cara MT

Obrigada por ter deixado este poema, um dos que o filme documenta e... é verdade "A gente não faz amigos, reconhece-os".

Uma boa noite para si :)

P.S. o ferrari segue dentro de dias :)))) (sim, porque está a ser cautelosamente embrulhado) :)

Maite disse...

Caro Legível

Tem razão, embora seja estranho!
E acredite que ninguém se levantou para sair quando o filme acabou. Ficámos todos até ao finalzinho...até que a tela ficou completamente branca e o som se dissipou.

Uma boa noite para si

Maite disse...

Caro Portocroft

Qual barbaridade???!!!
Claro que você não começa por dizer: "Camaradas, agora vou-lhes ensinar uma coisa preciosa...bla,bla,bla" :))
Mas aí está o seu blog para justificar a minha afirmação de que eu aprendo consigo a gostar de muitos poetas que, para lhe ser sincera, nunca me tinha dado ao trabalho de ler e que agora gosto.

Não perca o filme, até porque penso que vai gostar muito.

Resto de boa noite para si

Parrot disse...

Boa tarde Maite,

Como outros, Vinicios aprendi a gostar aqui, neste mundo da blogosfera. :)
Vou tentar seguir o seu conselho.

Boa tarde :))

Maite disse...

Parrot

Que lindo que está :) (um visual com uma mistura de Outono, Primavera e Verão)

É um documentário que vale a pena ver.

Boa tarde para si :))

PiresF disse...

Se não fosse por Vinícius, seria pelo rol de nomes enunciado.
Alguns, acompanham-me desde sempre.

Abraço.

Maite disse...

PiresF

De facto é um prazer ouvi-los, quer a declamar ou a cantar a sua poesia, como a falar sobre ele.

Um abraço para si e bom começo e semana

Parrot disse...

Gosta Maite?
É a nova colecção Outono-Inverno. Não lhe vou dizer quem foi o criador……:))
Gosto de estar na moda.
lol

Bom dia

Maite disse...

Parrot

Não diga...mas que o estilista tem bom gosto...isso tem :)))))

Uma boa tarde para si