domingo, novembro 12, 2006

Ora, novamente o séc. XVIII e a França. Sim, porque depois de ver “Maria Antonieta” e os ambientes faustosos da corte, este filme mostra-nos a precariedade, a imundície, a animalidade em que o povo vivia na mesma época. Uma criança que é “parida” literalmente no ambiente mais indescritível que se possa imaginar e no mesmo instante abandonada às traças. E o “dom” com que nasce e que parece que irá projectá-la para um mundo fora do seu (daquele onde nasceu), será a sua própria destruição que ele procura como fim para o seu próprio desespero. Tem ou poderá ter tudo a seus pés (possui algo mais valioso que o próprio dinheiro), mas carece daquilo que todo o ser humano mais deseja (a capacidade de amar e ser amado).
Não li o livro, por isso não posso fazer comparações embora tenha lido algures que Patrick Süskind se recusou, durante dez anos, a vender os direitos de autor. Penso que ao filme falta aquilo que toda a gente fala sobre o livro. Pelo menos, eu não consegui comprová-lo. No entanto, é de salientar a interpretação extraordinária do jovem actor Ben Whishaw no papel de Jean-Baptiste Grenouille.

8 comentários:

amok_she disse...

Nunca consegui levar o livro até ao fim, ainda estou para perceber porquê...

E se detesto ver filmes baseados em livros, em especial se os li, acho q desta vez estou tentada a ver o filme...porque sim e porque não!;-)

Maite disse...

Cara Amok_she

Estou tentada a ler o livro mas agora faço questão de ler os dois que tenho em mãos, primeiro. Fica para mais tarde.
Vá ver o filme e depois conta a sua impressão :)

Um bom começo de semana para si

legivel disse...

Cara Maite:

De acordo com a amok_she: livro que tenha lido e que origine um filme, raramente vejo. Não li o livro que originou este, mas também não estava muito tentado a vê-lo. Até porque tenho outros filmes mais... prioritários. Mas acabei de ler no "Expresso" que os críticos franceses, em Cannes, aquando da estreia, assobiaram o filme. Só isso já me aguça o apetite. Depois direi algi sobre o assunto.

Tenha uma boa tarde!

Maite disse...

Caro Legível

A sério? assobiaram? Quer ver que Patrick Süskind demorou tanto tempo a vender os direitos de autor e pelos vistos enganou-se na escolha do realizador!

Mas imagine que houve alturas, durante o filme, que as imagens me fizeram "saltar", de sobressalto, na cadeira como foi o caso do nascimento que é simplesmente indescrítivel.

Tenha uma boa tarde também

Parrot disse...

Boa noite Maite,

Esta semana não me fale em França.....só para a semana. :)))

Boa noite para si

Maite disse...

Parrot

Vai para França na próxima semana? :)
Olhe que eu não me importava nada de ir passar uns dias a Paris, mas não tenho tempo :( (já há alguns anos que não vou lá) :(

Boa noite para si

amok_she disse...

...bem, pelos vistos Cannes anda muito de assobio...já à 'coitada' da Antoinette fizeram o mesmo...;-)

Maite disse...

Cara Amok_she

Eu tenho uma predilecção por filmes assobiados pela academia de Cannes :))))

Um bom dia para si :)